segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Ora-pro-nobis

Postado por: Marília





Conheci o ora-pro-nobis numa viagem à Nova Era, cidade natal de meus pais. Lembro-me de ter ido com meu pai a casa de uma senhora idosa, dona Isabel, que o conhecia desde menino. 

Ela tinha uma horta no quintal e tinha o ora-pro-nobis numa touceira muito grande. Confesso que fiquei desconfiada. Eu, menina da cidade, ouvindo meu pai e a senhorinha dizendo que aquele matão todo era bom de se comer. Achei esquisito... Confesso que só comi por confiar demasiadamente em minha mãe: sabia que ela não colocaria em meu prato algo que me matasse (rs).

E qual não foi minha surpresa... que delícia! Era algo diferente de tudo que já tinha experimentado. 







Hoje tem uma touceira enorme no sítio dos meus pais. Mas agora, vejo-o com admiração - e um pouco de fome!






Esta é uma versão preparada com linguiça de pernil fresca. Numa panela fritei a linguiça com pouco óleo (cerca de 1/4 de xícara de chá) até dourar. Retirei e reservei. Na mesma panela, acrescentei 4 dentes de alho finamente picados e refoguei até dourar ligeiramente. Juntei um punhado de folhas de ora-pro-nobis lavadas e cortadas em tiras grossas (cerca de 4 xícaras de chá). Refoguei em fogo médio alto por cerca de 5 minutos. Acertei o sal e juntei a linguiça. Servi imediatamente com pimenta biquinho e arroz fresco. 


Assim como o quiabo, o ora-pro-nobis solta bastante baba. Se você , assim como eu, não curte essa baba toda, é importante refogar as folhas por um tempo em fogo forte. Caso contrário, refogue até dar uma murchadinha.

Você pode servir acompanhado de frango caipira, de costelinha de porco, carne moída, de torresmo... ou mesmo numa versão mais singela - mas não menos deliciosa - um ovo estalado.

Simples e incrível!


Até!


Obs: o ora-pro-nobis é um cacto (!) rico em ferro e contribui para o bom funcionamento do intestino.