segunda-feira, 30 de junho de 2014

Pudim de leite com morangos macerados

Postado por: Marília

Reunir a família é sempre uma delícia, não é? Mesa farta regada à conversa solta e gargalhadas é algo que me deixa muito feliz.
Pra fechar, uma sobremesa gostosa: pudim de leite com morangos macerados:



Uma sobremesa saborosa e de encher os olhos!

Iniciei o preparo do pudim pelo caramelo: numa panelinha, caramelizei em fogo brando 1 xícara (chá) de açúcar refinado, até ficar lindamente dourado. Acrescentei 1 xícara (chá) de água e, a partir deste ponto não mexi mais na panela. Deixei ferver até adquirir uma calda espessa. Despejei a calda numa forma de furo no meio e, com a ajuda de uma colher, espalhei-a em toda a lateral e centro (você deve ser ágil nesta etapa, pois a calda endurece rapidamente!). Reservei.



Numa tigela juntei  2 latas de leite condensado, 2 latas de leite integral e 6 ovos. Misturei com ajuda de um fuet (não mexi muito, apenas o suficiente para misturá-los).
Despejei a mistura na forma caramelizada, tampei bem com papel alumínio (parte metálica para dentro)  e levei para assar em banho-maria em forno pré-aquecido a 180ºC, 30 minutos coberto e 1h descoberto.
Deixei esfriar e mantive na geladeira até o momento de servir.

Próximo do momento de servir preparei os morangos macerados. Eu já havia lavado 1 caixinha de morangos (300g) e cortado em quatro partes.
Numa panelinha, fiz uma calda de açúcar com ½ xícara (chá) de açúcar de confeiteiro com ½ xícara (chá) de água filtrada e levei para ferver em fogo baixo. Acrescentei ½ collher (café) de canela em pó e ½ colher (café) de pimenta rosa moída na hora. Desliguei o fogo e adicionei 1 colher (chá) de essência de baunilha. Imediatamente despejei a calda sobre os morangos e deixei descansar por 15 minutos.

Desenformei o pudim. Separei os morangos da calda e acomodei-os no centro do pudim. Servi em fatias, acompanhado dos morangos.



Minhas considerações:

- dei meus pitacos nos morangos, pois a receita original pedia fava de baunilha e eu não tinha em casa... Ah, substituí a pimenta-do-reino por pimenta rosa;


- receita original daqui ó;

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Churros

Postado por: Marília

Churros, para mim, tem sabor de infância. Lembro de me deliciar com este regalo nos passeios com meus pais e, do programa do Chaves, claro! (pausa para o momento nostalgia...)



Para fazer deliciosos churrinhos você vai precisar de:

Massa:

1 xícara (chá) de água
1/3 xícara (chá) de manteiga
2 colheres (sopa) de açúcar mascavo
1/2 colher (chá) de sal
1 xícara (chá) de farinha de trigo peneirada
1 ovo
1 colher (chá) de extrato ou essência de baunilha

Para polvilhar:

1/4 xícara (chá) de açúcar
1 colher (chá) de canela

Ganache 

1/2 tablete de chocolate meio amargo (70g)
1/2 xícara (chá) de creme de leite (100 ml)



Leve ao fogo médio, uma panela com a água, a manteiga, o açúcar e o sal. Quando levantar fervura, acrescente a farinha de trigo e mexa vigorosamente até formar uma bola. Desligue o fogo e deixe esfriar por 10 minutos. Acrescente a baunilha e o ovo, mexendo bem, até a massa ficar homogênea (nessa etapa, mexa com vontade!)

Transfira a massa para um saco de confeitar  e modele os churros, utilizando um bico largo. 

Frite-os em óleo quente até dourarem.

Passe os churros pela mistura de açúcar e canela.

Para a ganache, quebre o chocolate em cubos e derreta no microondas de 30 em 30 segundos, misturando a cada pausa, até que todos o chocolate esteja derretido. Acrescente o creme de leite e misture bem.

Sirva imediatamente. Vai ser sucesso garantido!



Minhas considerações:

- Frite os churros com óleo suficiente para cobri-los. Coloque em temperatura média e lance mão daquele velho truque da vovó: coloque um palito de fósforo no óleo. Quando acender é porque o óleo estará bem quente. Óleo quente demais, deixará a massa crua por dentro e, embora ela seja semi-cozida, não ficará legal...

-  Para fritura usei óleo de girassol. Fez toda a diferença: ficaram crocantes por mais tempo e sem aquele gosto característico que o óleo de soja deixa;

- Caso prefira, sirva com doce de leite;

- Aproveite que as férias estão chegando e faça com a criançada! Estes fiz com a ajuda da minha filhota!

Bom apetite!

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Quiche de Champignons, Alho Poró e Bacon

Postado por: Marília

Embora tenha nome pomposo, acredito que a quiche seja um dos pratos mais fáceis que já fiz.
O que acho mais bacana é que dá para preparar a massa com antecedência e, acompanhada de uma salada é uma refeição completa. Além de impressionar sem muito esforço (cof, cof...)



A receita da base, extraí do livro Cozinha de Estar, da Rita Lobo (pág. 145)

2 xícaras (chá) de farinha de trigo
150g de manteiga gelada
5 colheres (sopa) de água gelada
1 colher (chá) sal

Piquei a manteiga em cubinhos pequenos e reservei por 10 minutos na geladeira, pois começou a derreter um pouco - e precisamos dela bem gelada!
Numa bacia, despejei a farinha, fiz um buraco no meio, salpiquei o sal e, no centro acomodei a manteiga e a água gelada (usei 6 colheres de sopa - acho que por conta da marca da farinha que usei...). Fui trabalhando com as pontas dos dedos, cuidando para não manipular demais. O objetivo é misturar, sem que a massa fique homogênea. Você deve ver os pedacinhos de manteiga, certo?
Forme uma bola, envolva em papel plástico e leve para a geladeira, de 2 a 24h.

Retirei a massa da geladeira e, numa superfície levemente enfarinhada, comecei a trabalhá-la um pouco para poder amolecê-la. Dividi em duas partes e uma delas abri com o rolo de macarrão e forrei o fundo de uma forma canelada. Com a outra parte forrei as laterais. Com um garfo, fiz vários furinhos em toda a massa;



Levei para assar em forno pré-aquecido a 180ºC por 15 minutos.

A sugestão do livro da Rita é de uma quiche de queijo minas - o que eu não tinha em casa. Mas usei o que eu tinha em casa e foi ótimo!

Numa frigideira dourei coisa de 100g de bacon em cubos. Dispensei parte da gordura formada e juntei 2 talos de alho poró fatiados não muito fino;



Sobre a massa, distribui cerca de 150g de champignons fatiados, distribui o refogado de bacon e alho poró;


Cobri tudo com a mistura de 4 ovos batidos, 250ml de creme de leite fresco, 50g de queijo parmesão ralado na hora, temperados com noz moscada e pimenta do reino moída na hora.

(Esqueci de tirar foto dessa etapa, sorry!)

Levei para assar até ficar lindamente dourada (dourado leve) e firme no centro.


Massa crocante, recheio cremoso... o perfume na cozinha então... divino!

Muito, muito bom!!


Minhas considerações:

- o pulo do gato aqui é a questão da manteiga: não sove a massa a fim de preservá-la. É ela que garantirá a crocância da massa. Não que a quiche não dará certo, vai dar certo. Mas em textura, sairá perdendo...

- com relação aos recheios há infinitas possibilidades: a clássica Lorraine (bacon), abobrinhas, tomatinhos com manjericão, cogumelos...

Bom apetite!



domingo, 22 de junho de 2014

Glossário Gastronômico: Branqueamento

Postado por: Marília


Branqueamento é um processo culinário que preserva a coloração e nutrientes dos vegetais, ideal para a utilização quando frescos e imprescindível para o congelamento.



Costumo utilizar este processo em vegetais variados como brócolis, couve-flor, ervilha fresca, vagem, cenoura... Hoje utilizei o espinafre.

Primeiramente, coloquei uma panela com água no fogo com uma pitada de sal (opcional).

Separei as folhas de um maço bonitão, lavei em água corrente e mantive de molho por 10 minutos em uma solução de água e vinagre branco (proporção de 1 litro de água para 1 colher de sopa de vinagre). Escorri a água, lavei novamente. Reservei.

Quando a água começou a ferver, mergulhei as folhas do espinafre para que cozinhassem por 1 minuto - é 1 minuto!



Ao lado da panela, providenciei uma bacia com água gelada e gelo, para que, dado o tempo de cozimento, o espinafre fosse mergulhado imediatamente na água gelada.


Essa etapa é importante, pois é aqui que acontecerá o choque térmico e o cozimento cessará, garantindo a vivacidade na coloração e a preservação dos nutrientes. Por isso é importante que a água esteja geladíssima.

Escorri a água, e espremi com as mãos para retirar o excesso de água. Este é o resultado:



Lindão né?

A partir daqui você pode utilizar no que quiser: tortas, bolinhos, risotos, sopas... enfim...

Pode-se congelar: armazene, etiquete. 3 meses de duração.


Os alimentos branqueados que foram congelados, devem sair do freezer direto pra panela, ok?


Espero que tenham gostado!

Forte abraço!



quinta-feira, 19 de junho de 2014

Sopa Cremosa de batata, alho poró e salsão

Postado por: Marília



Tá muuuiiiito frio aqui em São Paulo!

E pra garantir uma noite quentinha nada como uma sopinha, não é?

Essa gostosura fiz assim:

Numa panela cozinhei 6 batatas médias descascadas e picadas em cubos pequenos, 3 alho-porós fatiados (parte branca) 1 talo grande de salsão em 1,5 litro de caldo de carne (que ensinei a fazer aqui).

Deixei cozinhar até ficarem bem macios. Com o mixer, processei tudo até virar um creme. 

Acertei o sal, temperei com pimenta branca moída na hora.

Servi em cumbucas e finalizei com um fio de azeite de oliva.

Delícia!

Minha considerações:

- claro que você pode usar o caldo de cubinhos. Mas, francamente, o caseiro é infinitamente melhor! 

- caso não tenha mixer, faça no liquidificador. Só espere esfriar um pouco, para não ocasionar acidentes. Depois aqueça.

- O aroma e sabor dessa misturinha simples são incríveis! Recomento fortemente!

- Da próxima vez servirei com croutons.

Bom apetite!

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Salada Morna

Postado por: Marília

É certo que nesses dias de jogos temos saído um pouco da linha. A combinação petiscos+biritas tem reinado fortemente aqui em casa, rs.

Tinha uma Bok Choy na geladeira...

Então  hoje resolvi pegar leve no jantar, e preparei esta salada morna deliciosa:



Não tem receita gente. É mais passo a passo mesmo:

- Cozinhei ovos, batatas (com casca) e os mantive aquecidos em banho-maria bem baixinho;

- Branqueei a Bok Choy e as cebolas da seguinte forma:
Levei uma panela com água em fogo alto para ferver. Iniciada a fervura, deixei uma bacia com água e gelo ao lado; acrescentei a Bok Choy e deixei "cozinhar" por 1 minutinho apenas; retirei da água com o auxílio de uma escumadeira e, imediatamente, mergulhei na água gelada a fim de parar o cozimento (por 1 minuto também). Na sequencia, fiz o mesmo com as cebolas. Deixei descansar em um escorredor de massas,para eliminar o excesso de água. 
Este procedimento cozinha o alimento, mas o mantém crocante e sem aquela aparência triste de cozido, sabe?;

- Numa frigideira, acrescentei cerca de 1/2 xícara de chá de azeite (do bom!) e fritei lâminas de alho (usei 4 dentes; aqui em casa a gente AMA alho!).  Durante a fritura, fui agitando a frigideira pelo cabo a fim de garantir que as lâminas fritassem igualmente;

- Montei os pratos;

- Acrescentei sal e pimenta branca moída na hora e reguei tudo com azeite e o alho frito. 

- Simples e perfeito! Batatas macias, ovos com gema no ponto, Bok Choy, cebola  e alho crocantíssimos regados com muito azeite : ) !!


Minhas considerações:

Você pode variar com o que você quiser: brocolis, couve-flor, cenouras, ervilha torta, pimentões (como aqueles que ensinei aqui) azeitonas... o céu é o limite! 


Bom apetite!






domingo, 15 de junho de 2014

Hambúrguer

Postado por: Marília

Tempos atrás, quando contei a uma colega que fazia meus hamburgueres em casa, ela arregalou os olhos, com uma cara de espanto... foi engraçado!

Hambúrguer feito em casa é outro nível minha gente... creia!





Comecei processando 500g de patinho em pedaços, juntamente com 100g de panceta, 1 dente de alho, 1 cebola pequena, sal e pimenta. 

Modelei os hamburgueres desta maneira:




Grelhei em frigideira bem quente, com um fio de óleo, por 3 minutos de cada lado:


O resultado é um hambúrguer extremamente suculento e saboroso. Deixa qualquer fast food no chinelo. 




Minhas considerações:

- Você pode substituir a panceta por bacon; caso prefira, pode excluir este item. Só procure prepará-lo com uma carne com um pouco de gordura, para garantir suculência;

- podes fazê-lo recheado com queijo...

- Se o seu processador não for forte, faça por etapas. Caso não tenha, nada impede que compre carne moída (peça para moer na hora tá?) e pique os temperos na faca. Fica ótimo também!

- nesta quantidade fiz 6 unidades grandes, cerca de 90g cada uma (pra comer e ficar feliz, hein!?);



Bom apetite!

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Verrine de Creme de Limão com Farofa Crocante

Postado por: Marília

Com a passagem do dia dos namorados, me recordei que, na primeira vez que fui almoçar na casa do Luis ele preparou uma torta de limão para a sobremesa. Imagine se gostei : ) 


Essa versão de torta de limão é mais prática, pois não há necessidade de assar a massa e tal; fora que dá para fazer uma firula, servindo em taças - as famosas verrines. E fica lindo, né?

Para o creme de limão:

1 xícara (chá) de leite condensado
1/2 de xícara (chá) de suco de limão
3 claras

Para a farofa crocante:

1/2 xícara de nozes
10 biscoitos tipo maizena

Raspas de limão para decorar


No processador, triturei os biscoitos juntamente com as nozes e depositei a farofa no fundo das taças (aproximadamente 1 colher de sopa por taça). Reservei.

Na batedeira, bati as claras em neve - ponto firme. Fui acrescentando o leite condensado em fio, até obter uma espécie de merengue. Sem desligar a batedeira, acrescentei o suco do limão. Deixei bater rapidamente, para que as claras não perdessem a aeração.

Distribui o creme sobre a farofa de biscoitos e nozes. Finalizei com as raspas de limão e levei para gelar por 4h.

Ficou delicioso!

Minhas considerações:

- uma dica importante: as claras devem estar em temperatura ambiente, assim elas crescerão bem. Bata até que elas dobrem de tamanho;

- Você pode variar o sabor do creme. Fiquei imaginando um creme de maracujá, com uma calda de maracujá bem azedinha e o crocante das sementes... hummm;

- eu triturei bem os biscoitos com as nozes. Percebi que o crocante da farofa não rolou... vou triturar mais grosseiramente da próxima vez;

- É uma sobremesa leve e deliciosa. Vai agradar em cheio;

- Rendeu 6 generosas taças;


Bom apetite!

domingo, 8 de junho de 2014

Sopa Cremosa de Milho e Frango

Postado por: Marília

Eu gosto muito de sopa. Gosto mesmo. Tipo daquelas que, se frio, tiver sopa todos os dias, como feliz da vida!




Essa delícia eu preparei assim: cortei em cubinhos pequenos 1 peito de frango. Temperei com sal, pimenta e limão. Reservei.

Com o mixer, triturei 2 latas de milho (com a água da conserva) e passei pela peneira. Triturei o bagaço novamente com um pouco de leite (para aproveitar o máximo do milho) e peneirei novamente. Reservei.

 Numa panela bem quente, acrescentei 2 colheres (sopa) de óleo e refoguei os cubinhos de frango até ficarem bem douradinhos. Acrescentei 1 cebola pequena cortada bem miudinha e 1 dente de alho picadinho. Deixei refogar um pouco, até a cebola murchar. Acrescentei o creme de milho e juntei 800ml de leite. Misturei. Para garantir cremosidade, fiz uma mistura de 1 colher rasa (sopa) de farinha de trigo e 1 xícara (200ml) de leite frio. Misturei bem com a ajuda de um garfo e despejei na panela. Baixei o fogo para o mínimo e mexendo sempre, deixei cozinhar por 5 minutos, até adquirir um creme dourado. Moí um pouco mais de pimenta, acertei o sal e servi imediatamente.

Minhas considerações:

- Se preferir, faça com espiga de milho.

- Essa quantidade de sopa é suficiente para quatro pesssoas;

- se quiser, acompanhe com croutons;


Bom apetite!

Farofa bem da bobinha

Sobraram uns pedacinhos de carne de porco que não dava para nós três jantarmos. O jeito foi fazer o milagre da multiplicação (kkkk).

Aqueci a panela, acrescentei um pouco de água (100ml vai...) dexei cozinhar até a carne ficar beeemm molinha. Desfiei com um garfo, Deixei fritar um pouquinho. Acrescentei cebola e alho picado e deixei refogar por uns 2 minutinhos. Juntei um pouco de manteiga (3 colheres de sopa) -  porque farofa seca não dá né gente? Acrescentei 2 xícaras (chá) rasas de farinha de mandioca e deixei torrar lentamente em fogo baixo, mexendo de vez em quando. Acertei o sal e finalizei com bastante cheiro verde picado. E foi.



Sanduíche de Pernil

Postado por: Marília

Sanduíche de pernil é uma das opções bem vindas nas reuniões de família aqui de casa: dá pra fazer com antecedência e todos adoram!




Fiz essa receita no aniversário da filhota. Com a chegada dos jogos da Copa, penso que seja uma sugestão bacana pra quem vai reunir a galera em casa e queira servir algo mais substancioso do que  a boa e velha pipoca.

Num pilãozinho soquei 4 dentes grandes de alho, pimenta do reino moída e sal. Esfreguei a pastinha em dois pedaços de pernil fatiado ( o que deu cerca de 1 1/2 kg) e reguei com o suco de 1 limão. Deixei descansar por 1 hora.

Levei para assar em forno pré aquecido e alto por 20 minutos para "selar" a carne. Depois baixei o fogo para médio, e deixei assar por mais 40 minutos aproximadamente.

Enquanto a carne assava, fatiei (não muito fino) 3 cebolas, 1 pimentão vermelho, 1 pimentão amarelo e 1 pimentão verde (todos de tamanho médio). Despejei em uma tigela e temperei com um pouco de sal, azeite, limão e cheiro verde. 

Assim que a carne estava assada, acrescentei os legumes para que cozinhassem um pouquinho (10 minutinhos). Desligei o fogo e fatiei finamente a carne do pernil. A essa altura, os legumes ajudaram a soltar a crostinha de tempero da carne, que formou no fundo da forma; e tudo estava deliciosamente perfumado.  Na sequencia, formei os lanches com pão fresquinho e foi um sucesso!

Minhas considerações:

- Na foto está faltando os legumes, porque foi tirada no dia seguinte... desculpe aí...

- Se quiser, pode fazer na panela. Basta selar a carne com a panela bem quente e em óleo, até que todos os lados estejam dourados. Acrescente água quente para cobrir em dois dedos acima da carne, tampar e deixar cozinhar em fogo brando. Fica ótimo!

- Providencie cerveja geladíssima que será sucesso garantido!

Bom apetite!

domingo, 1 de junho de 2014

Canjica - à moda da D. Marta

Postado por: Marília

Junho chegou e as comidinhas típicas chegam com ele.
Para dar as boas vindas a essa época tão gostosa, quero dividir com vocês essa receita de família, que me traz à tona um gostinho da minha infância.

Primeiramente, escolhi 250g de milho branco (para canjica). Lavei em água corrente  e deixei de molho na geladeira por 4h - ou de um dia pro outro, se preferir - com água suficiente para cobrir.

Numa panela despejei a canjica - sem a água do molho-  acrescente 1 pau de canela, 3 cravos da India, 3/4 xícara (chá) de açúcar e 500ml de leite. Semi tampei (essa palavra existe, gente?) a panela e deixei cozinhar em fogo baixo por 30 min.

Uma vez cozido o grão, acrescentei 1 garrafinha de leite de coco, 50g de coco ralado e 1 xícara (chá) de amendoim torrado e moído (grosseiramente). Acertei o açúcar e deixei apurar em fogo baixo, até adquirir consistência ligeiramente cremosa.

Servi quentinha polvilhada de canela em pó.

Bom apetite!




Minhas considerações:

- Após os 20 minutos de cozimento verifique se o grão está cozido. Caso não esteja, deixe cozinhar mais um pouco. Se necessário, acrescente mais leite. O tempo de cozimento pode variar...

- Pode-se fazer uma panelada e congelar. Você terá essa gostosura por dias...