domingo, 30 de novembro de 2014

Creme brulée

Postado por: Marília



O Fabuloso Destino de Amélie Poulain é um dos meus filmes preferidos! Ele conta a história de Amélie, uma espirituosa jovem francesa que nos apresenta de forma delicada – e bem humorada – como desfrutar dos pequenos prazeres da vida. Um dos prazeres da protagonista é quebrar a casquinha crocante do creme brulée, a sobremesa que apresento à você.

Os ingredientes são:

6 gemas
10 colheres (sopa) rasas de açúcar
500ml de creme de leite fresco
1 fava de baunilha
açúcar cristal

Levei uma chaleira com água ao fogo. Pré aqueci o forno a 180ºC.

Comecei peneirando as gemas. Esta etapa é importante para eliminar a película e, assim, não deixar a sobremesa com gosto forte de ovo. Não passe a colher. Deixe drenando lentamente.

Enquanto isso, aqueci o creme de leite em fogo baixo, sem deixá-lo ferver. Abri a fava da baunilha e, com a ponta da faca, removi as sementes e adicionei ao creme de leite. Tampei a panela e deixei infusionar por 10 minutos.

Numa tigela de tamanho médio, bati as gemas peneiradas com o açúcar, até adquirir um creme claro. Acrescentei o creme de leite aquecido e mexi sem parar, para que as gemas não cozinhassem (senão, o aspecto será de leite talhado e queremos um rico creme liso e sedoso, não é mesmo?).

Com uma concha, distribuí o creme em ramequins. Acomodei os potinhos numa forma e levei para o forno, adicionei a água quente para o banho-maria e deixei assando por 1h aproximadamente.

Deixei esfriar. Cobri com filme plástico e levei à geladeira de um dia para o outro.

No momento de servir, polvilhei o creme com uma fina camada de açúcar cristal e queimei com maçarico, até que o açúcar ficasse bem douradinho.



Minhas considerações:

 - esta é um sobremesa delicada. O contraste da cremosidade do creme e o crocante da casquinha é delicioso!

- caso não possua um maçarico não tem problema. Pegue uma colher que você não queira usar mais e leve para aquecer ao fogo até ficar bem quente. Deslize-a sobre a superfície açucarada. Repita o processo quantas vezes forem necessárias. Lembre-se de limpar muito bem a colher após cada utilização, eliminando qualquer resquício de açúcar, ok?

- Quanto ao filme, recomendo que assista. É tão delicioso quanto este doce!


Bom apetite!




quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Risoto de panela de pressão da Rita Lobo

postado por: Marília




Sou superfã da Rita Lobo - acho que vocês já sabem, né? Dia desses dando uma espiadinha no canal do Panelinha no You Tube deparei-me com esta receita e fiquei bem desconfiada... Sou apaixonada por risoto mas como assim risoto feito na panela de pressão?? E o ponto do arroz?? Isso não é heresia?? (rs). 

Porém, assim como a proposta do vídeo era de desmitificar o "sacrilégio" no preparo, o meu depoimento aqui hoje só vem a endossar: dá certo. E muito certo!

Os ingredientes são:

2 colheres (sopa) de azeite 
1/2 cebola picada finamente
1 cenoura ralada finamente
1 talo de salsão picado finamente - se pequeno, acrescente 2 unidades
2 xícaras (chá) de arroz - usei arbóreo
4 xícaras de água quente
1/2 xícara (chá) de vinho branco
2 folhas de louro
3 cravos da india
1/4 de xícara de queijo parmesão ralado
1 colher (sopa) de manteiga
3/4 xícara (cha) de tomatinhos
3/4 xícara (chá) de muçarela de búfala - usei em bolinhas
folhas manjericão à gosto
sal
pimenta do reino


Comecei aquecendo a panela de pressão em fogo médio. Adicionei o azeite e refoguei a cebola até que ficasse transparente. Juntei a cenoura ralada, o salsão e o arroz, e deixei refogar por 1 minuto aproximadamente. 



Acrescentei o vinho branco e deixei cozinhar por 1 minuto. Juntei a água. Adicionei as folhas de louro, os cravos da india. Tampei a panela e deixei cozinhar por 3 minutos (3 minutos apenas) a partir do momento que a panela começou a chiar.

Desliguei o fogo, retirei a pressão. Adicionei a manteiga, o queijo parmesão, o manjericão, os tomatinhos e a muçarela, mexendo após cada adição. Acertei o sal e temperei com pimenta do reino moída na hora.

Servi em seguida, finalizando cada prato com um fio de azeite.



Minhas considerações:

- É uma receita super prática e deliciosa! Vale muito a pena fazer em casa. Farei mais vezes.

- A etapa elaborada na panela é a da receita básica do risoto, de forma que a saborização fica à gosto: camarões, carne, cogumelos... eu segui a sugestão da Rita e ficou maravilhoso!!  

- serve 4 pessoas, ok?


Ótimo apetite!




quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Salada de pepino com iogurte (raita)

Postado por: Marilia



Dia desses, navegando pelo You Tube , deparei-me com um lanche de origem iraniana que fiquei curiosa por experimentar. Era um bolinho de carne e batata temperado com cardamomo, canela, cominho que eu de-tes-tei (pronto, falei!). A carne perdeu todo o sabor de carne. Ficou com gosto de outra coisa. Outra coisa ruim. 

Masssss, se posso afirmar - com tanta convicção quanto a de que não curti a carne - é de que a salada de iogurte que o acompanhava foi uma grata surpresa! Leve, refrescante e muito, muito saborosa!

Comecei descascando um pepino japonês que depois piquei em pedacinhos. Reservei.

Adicionei no processador:

6 folhas de hortelã
1 dente de alho grande - sem o broto
1 copo de iogurte natural

Processei até que as folhas de hortelã e o dente de alho ficassem bemmmm picadinhos.

Numa tigelinha, juntei o molho de iogurte com o pepino, temperei com sal e pimenta do reino moída na hora.

Pronto!

Você pode servir com o grelhado de sua preferência: frango, carne vermelha, peixe...



É a cara do verão.

Apaixonei <3!

Bom apetite!


*** Ótimo acompanhamento para o kibe assado que ensinei aqui.






domingo, 23 de novembro de 2014

O grande livro dos ingredientes

Postado por: Marília



O Grande Livro dos Ingredientes é uma grande enciclopédia dos alimentos!


Cada um dos capítulos foi organizado por um especialista no assunto, de forma que o livro é repleto de informações técnicas do ingrediente mencionado. Traz também métodos de cocção e conservação, além de deliciosas receitas.

 


Separado por categorias como carnes, pescados, legumes, hortaliças, frutas, condimentos (entre outros), cada autor vai apresentando as diversas variações do ingrediente mencionado. Um ingrediente que me deixou intrigada é uma qualidade de batata, de coloração roxa (roxa mesmo!). Veja só:



Além das infinitas variedades de pimentas, queijos, frutos do mar exóticos, entre outras maravilhas que aguçaram - e muito! - minha curiosidade.



Para os amantes da gastronomia e curiosos de plantão é uma ótima leitura. E fica a dica de um excelente presente de Natal!




Nosso exemplar foi comprado pela internet, no extra.com.br e pagamos $64 pilas (na época em promoção) com frete free


***  Este artigo não é patrocinado. Trata-se de uma opinião pessoal.


Espero que apreciem a leitura!


Bj grande!!


Lagarto recheado com batatas coradas

Postado por: Marília


Sabe aqueles dias que queremos comer algo que nos tragam boas lembranças? Esta carne com batatas me traz gostinho de casa de mãe. Gostinho de infância.

Mas daí que eu quis fazer do meu jeito, incrementando um pouco aqui, um pouco ali.

Com o auxílio de uma faca bem afiada, abri uma peça de lagarto (1,5 Kg aproximadamente) em um grande bife. Temperei com sal, pimenta do reino moída na hora e 2 dentes de alho pilados e sem o broto. Deixei repousar por 4h.

Recheei com 2 cenouras fatiadas no sentido do comprimento, 2 talos de salsão, 1 cebola cortada em fatias grossas e fatias de bacon. Salpiquei um pouquinho mais de sal e pimenta, a fim de temperar estes legumes. Enrolei no sentido do corte e amarrei com barbante bem firme, para que a carne não se abrisse no momento do cozimento.




Numa panela grande, funda e bem quente, adicionei um fio de óleo e selei a carne de todos os lados (ensinei esta técnica aqui). Quando ficou bem douradinha, cobri com 1 litro de água quente e acrescentei 1 folha grande de louro. Tapei a panela e deixei cozinhar em fogo médio, até que a carne ficasse bem macia.

Enquanto a carne cozinhava, descasquei cerca de 1kg de batatas pequenas e cozinhei em água quente e salgada, até ficarem cozidas, porém firmes. Numa frigideira grande, coloquei um fio generoso de óleo de girassol e acrescentei as batatas já escorridas e secas. Em fogo médio, fui fritando-as lentamente, até que adquirissem a tonalidade dourada que eu desejava. Ainda na frigideira, temperei com sal e pimenta do reino. Neste momento, mantive-as em fogo bem baixinho, para mantê-las aquecidas e levemente crocantes.

Quando a carne chegou no ponto de maciez, retirei-a da panela. Como havia sobrado bastante caldo do cozimento, usei a técnica do beurre manié (que ensinei aqui).

O resultado foi uma carne macia, bem temperada, com batatas levemente crocantes, com interior macio e um rico molho para acompanhar tudo isso. E o melhor: saborear essa comidinha deliciosa na companhia da família, no aconchego do meu lar. É muito amor <3



Bom apetite!

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Glossário Gastronômico: Beurre Manié ou Roux Crú

Postado por: Marília





Esta é uma técnica francesa muito utilizada para encorpar molhos, sopas ou guisados.

Consiste em misturar a frio partes iguais de farinha de trigo e manteiga, até adquirir uma pasta homogênea, que será incorporada ao líquido da preparação – como um caldo ou leite por exemplo. A pasta agirá como um espessante.

O que eu acho mais bacana é que pode-se adiciona-la no líquido quente ou frio. E, por conta da manteiga, ajuda  - e muito! - que o líquido não empelote.

Ao adicioná-lo, mexa constantemente e deixe a preparação cozinhar por pelo menos 3 minutos.


Então nada de caldo ralo, hein! Bora ostentar um rico caldo para os amores de sua vida!


terça-feira, 18 de novembro de 2014

Arroz de carreteiro

Postado por: Marília




Este arroz é típico do Rio Grande do Sul e recebeu este nome por ser preparado pelos carreteiros (transportadores de cargas) durante suas viagens - isso muito antigamente... Consiste em arroz cozido com charque, alimentos resistentes à falta de refrigeração.

Fiz o meu arroz de carreteiro com os seguintes ingredientes:

500g de carne seca
2 xícaras de arroz
2 colheres (sopa) de banha de porco
1 cebola médica picada
1 dente de alho grande picado e sem o broto
1 folha de louro
Salsinha e cebolinha picadas á gosto
Água quente

Comecei na véspera, deixando a carne seca de molho em água na geladeira – troquei a água por 2 vezes, a fim de eliminar o excesso de sal.

No dia seguinte, escorri e piquei a carne em cubos. Numa panela de pressão bem quente, selei os pedaços de carne em um fio de óleo. Acrescentei a folha de louro e cobri com água quente. Tapei a panela e deixei cozinhar até que ficasse bem macia, em ponto de desfiar. Retirei carne da panela e reservei.  Como formou uma leve crostinha no fundo da panela, adicionei ali água quente a fim de soltar todos os sabores e utilizei essa água para cozinhar o arroz – mantive-a aquecida.

Numa panela funda, adicionei a banha do porco, a carne seca cozida e a cebola. Deixei tudo refogar bem e, durante esse processo, fui apertando a carne com a espátula, desfiando-a grosseiramente. Juntei o alho e deixei refogar mais um pouco. Juntei o arroz e deixei refogar até ficar levemente amarelado. Adicionei a água quente e deixei cozinhar pelos primeiros 10 minutos em panela destampada. Tampei e deixei concluir a cocção. Desliguei o fogo e deixei repousar por 10 minutos. Finalizei com salsinha e cebolinha picada.

Servi com salada de tomate, salsão e cebola roxa. Ficou ótimo!




Minhas considerações:

- Eu adoro comida de “uma panela só”. Os sabores se fundem e tudo fica delicioso!

-  Ótima opção para grandes famílias – rende super bem!

- Não precisei adicionar sal. A dica é provar depois que você acrescentar a água para cozinhar o arroz. Daí salga a teu gosto;


Se fizer me conta?


Ótimo apetite!  



domingo, 16 de novembro de 2014

Cuscuz de tapioca

Postado por: Marília





Dia desses planejando o cardápio da semana (para posterior publicação aqui no blog) deparei-me com este prato. Não sei bem por qual motivo, me incomodei por nunca comido o tão famoso cuscuz de tapioca.

Sei que algumas regiões este cuscuz é servido no café da manhã. Preferi a versão sobremesa, regada com leite condensado (hehe...).

Folheando o livro Cozinha de Estar, da linda Rita Lobo (fiz a resenha aqui), encontrei esta receita. A foto tinha cara de coisa gostosa - como a minha, modéstia a parte - e os ingredientes super acessíveis. 


Vamos à receita?

250g de tapioca granulada
250 ml de leite de coco
250 ml de água filtrada
1/2 xícara de açúcar
1 pitada de sal
leite condensado
coco fresco em lascas ou ralado

Numa tigela grande misturei o leite de coco, a água, o sal e o açúcar. Aos poucos, juntei a tapioca, misturando sempre, para que não empelotasse.

Deixei hidratar por 30 minutos aproximadamente - em temperatura ambiente - mexendo de vez em quando com um batedor de arame, até ficar com esta carinha:



Untei com manteiga e forrei com filme plástico uma forma de bolo inglês. Transferi a mistura da tapioca e alisei com uma colher. Levei para gelar por 4h.



Para servir, fiz uma caminha de leite condensado no fundo do prato, desenformei o cuscuz por cima e finalizei com as lascas de coco.



Cortei em fatias e servi com um pouco mais de leite condensado.



Delicioso!!


Minhas considerações:

- Para fazer as lascas de coco utilizei o descascador de legumes; 

- Quanto mais geladinho, melhor;

Bom apetite!!


*** receita extraída do livro Cozinha de Estar, receitas práticas para receber. São Paulo: Ed. Paralela, 2012. Pág. 198


sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Sorvete Caseiro de Flocos

Postado por: Marília



Preparei este sorvete intuitivo, misturando receitas que vi, testei e, digamos, que eu desejei tirar o melhor de cada uma delas. Ponto pra mim!

Este sorvete é feito em duas etapas. É um tantinho trabalhoso. Mas a recompensa em sabor... vale a pena!

- Para o creme cozido utilizei:

1 lata de leite condensado (de boa qualidade)
a mesma medida de leite integral
2 gemas


- Para o chantilly:

1 frasco de creme de leite fresco de boa qualidade (500g) bem gelado *


- Para os flocos de chocolate:

100g de chocolate ao leite


Comecei untando com manteiga, 2 formas de bolo inglês. Forrei o interior de cada uma com filme plástico, deixando uma folga nas bordas. Isso facilita no momento de desenformar.

Numa panela bem limpa, peneirei as gemas e levei ao fogo médio juntamente com o leite e o leite condensado, mexendo sempre até engrossar. Deliguei o fogo, transferi para uma tigela e cobri com filme plástico - colocando-o em contato com o creme. Deixei esfriar.

Quando o creme cozido estava frio, bati o creme de leite em ponto de chantilly e, aos poucos, agreguei ao creme; mexendo delicadamente, a fim de que não perdesse a aeração. Juntei o chocolate picado e mexi levemente.

Distribui o creme adquirido igualmente nas formas e levei ao freezer 4h (tempo mínimo).

Servi acompanhado de ganache que fiz derretendo 100g de chocolate ao leite com 4 colheres (sopa) de creme de leite de caixinha.

Ficou delicioso!



Minhas considerações:

- claro que comprar um sorvete pronto é muito mais prático; mas fazer um sorvete em casa, com ingredientes escolhidos por você tem seu charme...

- Ao fazer em forma de bolo inglês, serve-se em fatias, e assim pode-se repetir várias vezes \o/;

- Cuidado ao bater o chantilly: se bater demais vira manteiga!


* 10 minutos antes de bater, coloque-o no freezer. Isso ajudará a dar corpo ao chantilly ;)


Bom apetite!





quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Antepasto de Ricota

Postado por: Marília



Bem, a preparação deste antepasto nem chega a ser uma receita. 

Porém, de maneira despretensiosa essa belezinha ganhou meu coração. É leve, bem temperada e a pimentinha na medida pede por uma cervejinha. Nesse calor, não consigo imaginar combinação melhor!


Vamos lá?

Os ingredientes são:

120g de ricota fresca
1 cebola roxa pequena
1 dente de alho - sem o broto
1 colher (café) de pimenta calabresa
sal
cheiro verde à gosto
azeite (usei aproximadamente 4 colheres de sopa)

Com um garfo, esmigalhei a ricota o máximo possível. Juntei a cebola, o alho e o cheiro verde picados finamente. Temperei com sal, a pimenta e, por, fim reguei com o azeite. Misturei até que todos os ingredientes ficassem bem agregados. 



Comemos com pão pita torradinho - que cortei em triângulos. 


Ficou ótimo!




Bom apetite!

domingo, 9 de novembro de 2014

Escondidinho de Bacalhau

Postado por: Marília


Dia desses assistindo ao Master Chef, vi uma das participantes fazendo um escondidinho de bacalhau. Minha boca se encheu de água... Eu amo bacalhau! <3

Daí que comecei a matutar como prepararia a minha versão do prato. Decidi por um refogado de bacalhau com alho-poró e purê de mandioquinha com cream cheese.

Comprei os ingredientes e partilho com vocês a execução. Até o marido e a filha que não são chegados comeram tudinho - com direito a suspiro de satisfação! 

Para o recheio de bacalhau:

500g de lascas de bacalhau dessalgado e cozido
1 folha de louro
2 alhos-porós fatiados
1/2 cebola picada 
1 dente de alho picado
1/4 de xícara (chá) da água do cozimento do bacalhau
azeite de oliva de boa qualidade
cheiro verde à gosto

Para o purê de mandioquinha:

500g de mandioquinha descascada e cozida (cozinhei na água do cozimento do bacalhau) 
1 colher (sopa) de manteiga sem sal
1/4 de xícara (chá) de leite integral
3 colheres (sopa) bem cheias de cream cheese
sal
pimenta do reino

Comecei a preparação na véspera, deixando o bacalhau de molho em água filtrada, trocando três vezes a água, a fim de remover o excesso de sal. Depois cozinhei em água com a folha de louro. Retirei com uma escumadeira, retirei um pouco da água. Deixei esfriar. Desfiei e removi algumas espinhas. Reservei.

Numa frigideira antiaderente, refoguei a cebola em um fio generoso de azeite. Assim que ficou tranparente, juntei o dente de alho e deixei refogar por um minuto. Juntei o alho poró fatiado e deixei refogar até murchar. Acrescentei o bacalhau. Reguei com 4 colheres (sopa) da água do cozimento, para garantir umidade ao recheio. Temperei com pimenta do reino moída na hora e precisei acertar o sal. Finalizei com cheiro verde. Reservei.

Na panela em que cozinhei o bacalhau, acrescentei a mandioquinha. Cozidas, escorri e espremi enquanto estavam quentes. Numa outra panela, juntei o purê, a manteiga e o leite e cozinhei em fogo baixo, apenas para derreter a manteiga e agregar todos os ingredientes. Desliguei o fogo, acrescentei o cream cheese, sal e pimenta do reino moída na hora. Misturei bem. Reservei.

Para servir, optei por porções individuais. Então utilizei estes ramequins, que untei com manteiga e farinha de rosca. No fundo, distribuí igualmente as porções de bacalhau e reguei cada uma com um fio de azeite. Cobri com o purê de mandioquinha e finalizei com parmesão ralado.



Levei para gratinar em forno pré-aquecido alto, até ficarem douradinhos.



Servi imediatamente - os danadinhos deram uma murchada...





Ficou muito, muito bom!




Minhas considerações:

- o purê ficou levinho e saboroso, bem do jeitinho que eu queria!

- o bacalhau ficou molhadinho e o alho-poró fez toda a diferença neste recheio. Foi o casamento perfeito!

- eu optei por porções individuais, mas nada impede de fazer num refratário. Mas ter um potinho só pra si é um afago e tanto!

- é uma ótima opção para as festas de fim de ano que se aproximam.

- o rendimento desta receita foram 6 ramequins bem recheadinhos.


Se fizer me conta?

Grande beijo.

1 ano da Nossa Pequena Cozinha!

Postado por: Marília

Olá queridos, tudo certim com vocês?

Então, deixe eu contar a novidade: novembro é o mês de aniversário do nosso blog!

Nosso primeiro aniversário! Isso é muito, muito bacana!

Como nosso objetivo é compartilhar cada vez mais nossas experiências, fizemos uma enquete para conhecer suas preferências, nobre leitor. Afinal de contas, sua opinião é muito importante.

O objetivo dessa pesquisa é afinar nossas receitas àquilo que você gostaria de ver. Bom isso, não é?

Então para participar, basta direcionar-se ao canto superior direito e clicar na resposta que mais se identificar. E só. Você já contribuiu!




(imagem: google)


Obrigada por nos acompanhar e incentivar. Valeu mesmo!

Um forte abraço!



sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Cheesecake (fake) de chocolate

Postado por: Marília





Chocolate na TPM salva - não é meninas?

Se combinar morango então... :)))

Para esse docinho utilizei:

100g de biscoito maisena 
1 colher (sopa) bem cheia de manteiga derretida - sem sal
200g de chocolate picado - usei ao leite
150g de cream cheese
300g de morangos - 1 caixinha

No processador triturei os biscoitos e misturei bem com a manteiga. Depositei no fundo de três copos de whisky, cuidando para distribuir igualmente. Reservei.

Numa tigelinha, derreti o chocolate no microondas (de 30 em 30 segundos, misturando entre os intervalos) e misturei bem com cream cheese até adquirir uma mistura homogênea. Dividi este creme de chocolate entre os copinhos. Levei para gelar por 1 hora.

No momento de servir, cobri com os morangos picados e decorei com folhinhas de hortelã.






Minhas considerações: 

- docinho rápido e delicinha para acalentar o coração;

- Numa versão para adultos, saborize  o creme de chocolate com rum - fica ótimo!

- Estas folhinhas de hortelã trazem um frescor delicioso à sobremesa. Apaixonante!

- Só eu estava de TPM, mas quem não estava também ficou feliz! (rs)


Bom apetite!